Unilateral

fotoperformance-denicorsino-120dpi-l1170px-para-site

DeniCorsino, Unilateral, 2016. Fotoperformance – papel linho, 29 x 33 cm

DeniCorsino, Unilateral, 2016. Photo performance. 15 photographs composition printed on linen paper, 20.9 x 33cm

fotoperformance-2-denicorsino-120dpi-l1170px-para-site

DeniCorsino, Unilateral, 2016. Fotoperformance – sublimação em tecido 100% polyester, 85 x 52 cm.

DeniCorsino, Unilateral, 2016. Photo performance – dye sublimation on 100% polyester fabric, 85 x 52cm.

Unilateral, 2016. Fotoperformance – gif animado

DeniCorsino, Unilateral, 2016. Photo performance – animated gif

Photograph Assistant_Aline Corsino

*****

Unilateral. A tentativa de interação sujeito – MURO indica a intenção situada de um só lado. Como sujeito observo a imparcialidade do objeto. O corpo como superfície em movimento confronta o MURO, superfície estática, e procura entendê-lo a partir da aproximação e contato. Mergulho no objeto, atendendo às limitações impostas pelo mesmo, percorrendo-o sensorialmente, inscrevendo em cada gesto a memória da cidade sugerindo uma dança rica em percepções.

O MURO se torna verdadeiramente relevante àqueles que se propõem a vivenciar o espaço urbano cotidiano. Esta relação permite-nos compreender a ‘cidade como ambiente de existência do corpo’ (Jacques, 2008, p. 187).

O objeto tridimensional MURO inclina-se para um só lado: aquele da não-interação. Sujeito e MURO, cada um na sua egoísta unilateralidade. [DeniCorsino_Out 2016 ]

*texto originalmente publicado em om-lab.com.br

*****

Unilateral. A try at Subject–Wall interaction suggests the intention of only one side. As an individual I observe the impartiality of the object. The body as a moving surface challenges the Wall, a static surface, and tries to apprehend it from approach and contact. I immerse myself in the object, respecting its restrictions,  covering it in a sensorial way, and imprinting the city experience memories on every gesture that can be compared to a dance full of perceptions.


The Wall becomes truly relevant to the ones who are willing to experience the daily urban space. This relationship allows us to comprehend the ‘city as an ambiance where bodies inhabit’ (Jacques, 2008, 187).

The tridimentional object WALL leans to only one side: the side of no-interaction. Subject and WALL, every one at its selfish one-sideness.

*This text was originally published at om-lab.com.br